Arquivo da tag: Literatura Francesa

La boîte à Pensées: Relendo Liaisons Dangereuses

Liaisons Dangereuses foi o primeiro livro que li em francês. Eu estava mais ou menos na metade do meu curso do idioma, já com uma boa noção mas com bastante medo de enfrentar um clássico literário. Aquela insegurança e temor de … Continuar lendo

Publicado em La boîte à Pensées | Marcado com , , , , , , | 4 Comentários

O diabo na água benta (Robert Darnton)

“A impaciência de certos nouvellistes costuma degenerar-se em frenesi. Toda sua existência é dedicada a percorrer os passeios públicos para ouvirem ou repetirem tudo o que é dito, tudo o que é impresso. E na sofreguidão de acreditarem em tudo, as … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Literatura Estrangeira, Resenhas | Marcado com , , , , , , , , , | 6 Comentários

O Amante (Marguerite Duras)

Marguerite Duras é uma das escritoras mais emblemáticas do idioma francês. Quando se fala do lirismo francês, é a prosa dela que se destaca. Mas Duras é conhecida também por seu estilo difícil. Não hermético, mas dissociado da costumeira linha … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Resenhas | Marcado com , , , , , , | 1 Comentário

Memórias gastronômicas de todos os tempos, seguido de Pequena História da Culinária (Alexandre Dumas)

“Mais, quelque part que l’homme soit né, il faut qu’il mange; c’est à la fois la grande préoccupation de l’homme sauvage et de l’homme civilisé. Seulement, sauvage, il mange par besoin. Civilisé, il mange par gourmandise”(Alexandre Dumas). ((Tradução livre: “Mas, onde quer … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Resenhas | Marcado com , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Madame Bovary (Gustave Flaubert)

 Considerado um dos grandes marcos do realismo e a obra prima de Flaubert, Madame Bovary tem por objetivo ser uma obra extraordinária sobre uma situação banal. É a história de um casal burguês – Emma e Charles Bovary – que … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Resenhas | Marcado com , , , , , , , , , | 2 Comentários

Tarântula (Thierry Jonquet)

“Mas Tarântula porque ele era como a aranha, lenta e secreta, cruel e feroz, ávida e imponderável em seus desígnios, escondido em algum lugar naquele covil onde o mantinha sequestrado há meses, uma teia de luxo, uma armadilha dourada, de … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Resenhas | Marcado com , , , , , , , , , | 4 Comentários

Barba Azul (Charles Perrault)

Um homem de muitas posses mas extremamente feio devido a sua barba azul pede uma das filhas da vizinha em casamento. As garotas hesitam diante da possibilidade de casar com Barba Azul, ainda mais sabendo que este já fora casado … Continuar lendo

Publicado em Literatura, Resenhas | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário