A imaginação econômica (Sylvia Nasar)

Economia não era exatamente uma ciência pela qual eu me interessava quando mais jovem. Foi preciso que eu trabalhasse na área e visse por mim mesma o quanto ela é importante. Nos últimos anos eu deixei de entender economia como “algo que eu preciso saber para o trabalho” e comecei a entender como “algo extremamente interessante e ao mesmo tempo extremamente confuso que eu adoraria entender melhor”. E foi essa atração recentemente descoberta pela Economia que me levou a escolher A imaginação econômica,  obra de Sylvia Nasar, que talvez seja mais conhecida por ser autora de Uma mente brilhante, livro que inspirou o filme homônimo estrelado por Russel Crowe.

Começamos a ouvir falar de economia através das aulas de história e geografia na escola. A maioria ainda lembra de um nome ou dois. Lembramos, por exemplo, que Thomas Malthus tinha uma teoria que incluía progressões aritméticas e geométricas, que Engels e Marx são os “pais do comunismo”, ou que a Revolução Industrial aconteceu na Inglaterra, ou mesmo que depois da Segunda Guerra a Europa se reconstruiu através do Plano Marshall.  Já ouviu falar das múltiplas crises: de 29, a de 73, a de 2008 e acompanha agora a crise que assola a União Europeia. São conhecimentos importantes, mas normalmente repassados de maneira superficial entre milhares de outras informações relevantes que vão cair na prova ou no vestibular.

Em A imaginação econômica, a autora fornece rostos para os nomes e contextos para as teorias. Como biógrafa, nos fornece detalhes das vidas dos bravos que puseram em palavras e números a economia. Como economista fala de leis que até hoje são discutidas em faculdades, na política, nos jornais e em qualquer instituição financeira. Ideias que influenciam  nossas vidas, ainda que não as entendamos. Explorando suas histórias, a autora acaba por demonstrar as origens de suas ideias, o contexto no qual elas se inseriam, como elas foram recebidas por seus contemporâneos. Para isso serve-se de uma infinidade de documentos oficiais, por certo, mas também se reporta a literatura. Logo nas primeiras páginas, os apaixonados por literatura são agraciados com uma contundente análise da obra de Jane Austen. Já ao falar de Malthus e seus contemporâneos, serve-se da obra de Dickens, sendo memorável sua análise sobre o contexto político-econômico de Um conto de Natal

Tais paralelos são recorrentes e, combinados ao tom pessoal comum às biografias, faz com que as teorias aparentemente inextrincáveis sejam facilmente absorvidas, sem com isso subestimar a inteligência do leitor. A abordagem é bastante profunda, considerando a quantidade de páginas e de teorias abordadas. Não se trata, no entanto, de uma obra definitiva, e nem exaure o tema. É uma iniciação à teoria econômica, que tem por objetivo acender a curiosidade do leitor. Busca não só demonstrar a teoria, mas decifrar de onde ela surgiu e, principalmente, como a vida pessoal de seu autor influenciou suas conclusões. Mostra na prática que a economia é, antes de tudo, uma ciência humana.

Sylvia Nasar nos apresenta assim a personagens como Thomas Malthus, Alfred Marshall, Sidney Webb e Beatrice Potter, Friedrich Engels e Karl Marx, Schumpeter, Maynard Keynes, Winston Churchill, Irving Fisher, Wittgenstein e Franklin Delano Roosevelt. Pessoas que dedicaram a vida a entender o complicado mecanismo por trás da riqueza e da pobreza, da distribuição de renda, da prosperidade das indústrias. O panorama que se abre com a leitura de A imaginação econômica é bastante vasto. É um livro para aprender a gostar de economia, para entender que direitos que tomamos como inalienáveis e as cobranças que fazemos hoje a nossos governantes, como melhores condições de emprego, saúde, previdência social, educação pública e para todos, nasceram das várias mentes brilhantes, dos grandes economistas, a quem a autora presta homenagem em sua obra.

É uma obra para aguçar a curiosidade sobre um assunto que a maioria das pessoas acha desinteressante. É uma porta de entrada para um mundo que é muito mais do que gráficos ou números em vermelho e verde. Para aqueles que, como eu, já gostam do assunto mas querem entender melhor, é uma verdadeira aula. Muitos de meus preconceitos e estereótipos econômicos foram revistos, muitos conceitos que tinha como certos foram derrubados. É uma base teórica valiosa para estudantes de Ciências Humanas. Recomendadíssimo.

Aliás, Sylvia Nasar estará no Espaço Revista CULT na segunda-feira, dia 15, para o lançamento do livro em São Paulo, com sessão de autógrafos e palestra.

A IMAGINAÇÃO ECONÔMICA
SYLVIA NASAR
Título original:A GRAND PURSUIT
Tradução: Carlos Eugênio Marcondes de Moura
600 Páginas
Selo: Companhia das Letras
Preço sugerido: R$ 54,50

Saiba mais sobre essa e outras obras no site da Companhia das Letras

 

Anúncios

Sobre Clarisse

Uma menina com histórias pra contar...
Esse post foi publicado em Biografias, Literatura, Literatura Estrangeira, Resenhas e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s