Anatomia de um desaparecimento (Hisham Matar)

Nuri tinha 14 anos quando seu pai desapareceu, nos idos dos anos 70. Com a mãe já falecida, restou-lhe Mona e os empregados da casa, entre eles a fiel Naima. Nuri é filho de um ex-ministro de um não nomeado país árabe, um militante da liberdade do dito país.

Moram no Cairo, mas logo o protagonista é mandado para um colégio interno na Inglaterra. Mona é uma mulher deslumbrante, 14 anos mais velha que Nuri e 15 anos mais nova que seu pai, e povoa os sonhos molhados do menino, de quem logo vira madrasta.

O Paxá Kamal, pai de Nuri, some durante as férias na Suíça, sendo sequestrado da cama de uma mulher desconhecida para o narrador. Com o auxílio de Mona e do advogado da família, Hass, ele busca encontrar seu pai, entendê-lo e continuar a viver.

Relatada em fluxo de consciência a partir do ponto de vista de Nuri, é uma história de perda, de solidão, do vazio da ausência. É também uma história de busca desesperada, de uma paixão adolescente, do amadurecimento prematuro.

Acompanhamos Nuri, Mona e Hass na busca pelo paradeiro de Kamal durante as infrutíferas idas à polícia, durante os momentos de angústia. Mas também acompanhamos o dia a dia de Nuri, suas amizades no colégio, sua atração por Mona, tão bem delineada em seu primeiro encontro num resort praiano do Egito. Começamos a entender sua relação com um pai presente, mas distante, a sensação de deslocamento que ambos sentiram com a perda da mãe de Nuri, que se foi cedo demais.

A trama política fica sub-entendida, assim como a importância de Kamal no antigo governo de seu país de origem. Aliás, o que chama a atenção mesmo é o que as palavras não dizem. E tanto neste livro fica por dizer, por ser esclarecido. A escrita de Hisham Matar é contundente, e reflete a realidade da perda, sem dúvida espelhada na própria perda do autor, que teve seu pai sequestrado em 1990 pelo governo líbio e está desde então desaparecido.

É uma obra para sentir, mais do que para entender. Não cabe ali um estudo do enredo, da linha narrativa propositadamente confusa. O livro retrata uma dor única e é isso que dele fica.

ANATOMIA DE UM DESAPARECIMENTO

Hisham Matar

Tradutor: Julián Fuks

Editora: Record

224 Páginas

Saiba mais sobre essa e outras obras no site do Grupo Editorial Record

Anúncios

Sobre Clarisse

Uma menina com histórias pra contar...
Esse post foi publicado em Literatura, Resenhas e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s