O professor e o louco (Simon Winchester)

Foram 70 anos, 12 volumes, 414.825 verbetes e 1.827.306 citações ilustrativas.  A criação do Oxford English Dictionary foi o trabalho da Sociedade Filológica de Londres, resultado dos esforços de homens como Herbert Coleridge, Frederick Furnivall e  James Murray, além de um incontável número de voluntários, entre eles o Dr. William Minor, ex-capitão cirurgião do exército dos EUA, irremediavelmente insano.

Num mundo em que dicionários são fator comum, disponíveis nas mais diferentes plataformas e formatos e em todos os idiomas possíveis; é difícil conceber a monstruosidade e ambição do projeto do Oxford English Dictionary.  Uma obra que pretendia abarcar, explicar e codificar todas as palavras de um idioma advindo de influências etimológicas diversas e que, até meados do século XIX, não conhecia um código comum. A necessidade era premente. A influência do idioma era sentida mundialmente, todas as outras grandes línguas ocidentais já contavam com um norteador ortográfico e lexicográfico, os dicionários existentes até então eram listas de vocábulos difíceis, rebuscados ou obsoletos.

Para construir tal obra de referência, a literatura inglesa deveria ser passada em revista. Toda ela. Voluntários em toda a Inglaterra atenderam ao apelo de James A. H. Murray e liam obras e separavam palavras e citações a serem colocadas no dicionário. Entre aqueles que atenderam este apelo apaixonado estava Dr. Willam Minor, e suas contribuições foram de suma importância para o sucesso do projeto. Nascia uma amizade que duraria pelo menos 30 anos.

A aproximação e o relacionamento amistoso entre o eminente Dr. Murray e o desequilibrado Dr. Minor é o cerne de O professor e o louco: Uma história de assassinato e loucura durante a elaboração do dicionário Oxford. Simon Winchester aborda o assunto pelas beiradas, com os últimos momentos de George Merrett, cuja morte levou William Minor ao Broadmoor Asylum, a 65km de Oxford. Segue um prelúdio e um histórico das personalidades dos dois protagonistas, e aos poucos a história do dicionário se imiscui na vida destes dois homens tão parecidos e tão diferentes.

O autor inicia cada capítulo (inclusive notas e agradecimentos) com um verbete retirado do famoso OED, como o dicionário ficou conhecido. Tal verbete tem relação direta com o teor do texto a que se refere, e o texto em si, apesar de acessível e leve, é pontuado por escolhas de palavras que levam à consulta do dicionário. Ao menos foi o que a tradução deixou transparecer. A história que conta é fascinante e recheada de detalhes e anedotas históricas, que deixam o texto ainda mais atrativo. O professor e o louco é a história da obra prima da Inglaterra Vitoriana e um livro para ler e reverenciar estes homens semi-anônimos que nos permitiram acesso irrestrito ao idioma da globalização.

O professor e o louco
Simon Winchester
Título original: THE PROFESSOR AND THE MADMAN (POCKET)
Tradução: Flávia Villas-Boas
240 Páginas
Selo: Companhia de Bolso
Preço Sugerido: R$ 25,00

Saiba mais sobre essa e outras obras no site da Companhia das Letras

Anúncios

Sobre Clarisse

Uma menina com histórias pra contar...
Esse post foi publicado em Literatura, Resenhas e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para O professor e o louco (Simon Winchester)

  1. gilberto ortega jr disse:

    eu quero um desce

  2. gilberto ortega jr disse:

    putz era deste mas enfim continuo querendo

  3. Diana disse:

    ok, vi que vale a pena ler o livro sim ^^

  4. Pingback: Links da semana « Blog da Companhia das Letras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s