Paris é uma festa (Ernerst Hemingway)

Paris, anos 1920. Ernest Hemingway e sua esposa vivem num apartamento modesto, são jovens, são cúmplices. O escritor divide seu tempo entre Cafés, visitas a Gertrude Stein ou à Shakespeare & Company, de Sylivia Beach, e viagens com sua esposa.

Publicado postumamente e muito bem resenhado aqui no Meia Palavra pela Anica e pelo LucasParis é uma Festa  (A Moveable Feast) é uma coleção de retratos da vida cotidiana de Hemingway na Cidade Luz.

Mesmo com o famoso prefácio que alerta que “o livro pode ser lido como uma ficção”,  a obra parece ser de uma honestidade quase brutal. Hemingway descreve com exatidão, e mesmo com um toque de nostalgia, trajetos de Paris que lhe são familiares, nos guiando por cafés, bulevares, alamedas, parques, museus e casas de amigos, e no caminho nos apresenta pessoas. Essas pessoas, descritas sob a percepção do autor, são personalidades completas, recheadas de qualidades e defeitos e absolutamente fascinantes.

Aprendemos em Paris é uma Festa que foi nesta cidade que Hemingway leu pela primeira vez os clássicos russos, que ali travou conhecimento com os escritores da Generation Perdue, como Ezra Pound e F. Scott Fitzgerald. Ali também conheceu Gertrude Stein, que muito influenciou seu estilo de escrever. Em Paris, Ernest Hemingway passou fome, dependeu do jogo para sobreviver, fez amigos.

Dono de uma prosa enxuta, Hemingway resume em pouquíssimas páginas suas memórias de juventude. Nelas, me impressionaram muito o amor devotado a sua (primeira) esposa, Hadley, sua amizade com F. Scott Fitzgerald e sua antipatia para com Zelda Fitzgerald. As poucas palavras trazem em si uma poderosa carga emocional que imagino poder atribuir ao carinho com que um senhor olha para o próprio passado.

Além deste rico retrato do jovem Hemingway, que por si só vale a leitura, a obra é também um verdadeiro guia de Paris. Quem já passeou pelo 6º Arrondissement deve ficar imediatamente nostálgico, querendo pisar naquelas famosas pegadas.

Ainda que alguns restaurantes e lugares já não mais existam, o itinerário pouco mudou, e o visitante poderá se deliciar e apreciar as pequenas ruas, a luxúria do Jardin du Luxembourg, alguns bons cafés, enfim, viver Paris.  Quem não conhece ainda e não tem meios para viajar, sugiro abrir o Google Maps e digitar cada endereço. É uma experiência mágica.

É mesmo, como disse a Anica, um livro para matar as saudades do filme Meia Noite em Paris.

Paris é uma festa

Ernest Hemingway
Tradução: Ênio Silveira
240 Páginas
Preço sugerido: R$39,00

Saiba mais sobre essa e outras obras no site do Grupo Editorial Record

Anúncios

Sobre Clarisse

Uma menina com histórias pra contar...
Esse post foi publicado em Literatura, Resenhas e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Paris é uma festa (Ernerst Hemingway)

  1. Estou com ele na minha lista de leituras há tempos!!!

  2. Taize Odelli disse:

    Esse fim de semana assisto Meia Noite em Paris pra ver qualé, e se curtir vocês vão me obrigar a ler esse livro. Pqp, vcs.

  3. Pingback: Paris, a festa continuou (Alan Riding)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s