A Song of Ice and Fire (George R. R. Martin): A Baía dos Escravos

No Continente de Essos, como vimos, há muitos lugares em que a escravidão é aceita, até mesmo incentivada. Nesse contexto, talvez não seja tão estranho saber da existência da Baía dos Escravos (Slaver’s Bay), uma reminiscência do Império Ghiscari composta de três cidades dedicadas ao comércio de, bem, escravos. Astapor, Mereen e Yunkai são grandes cidades feitas de tijolos, com grandes pirâmides e escravos altamente especializados. As três cidades são governadas por Mestres escravocratas, falam Alto Valiriano carregado de sotaque Ghis.

Apesar de não terem absorvido o idioma do Império Ghiscari, as pessoas livres destas três cidades têm orgulho de sua origem. As três usam seu símbolo, a Harpia, ainda que com pequenas diferenças, e seus habitantes normalmente possuem olhos e cabelos escuros e pele cor de âmbar. Uma característica comum são cabelos armados, numa mistura de negros e vermelhos, normalmente esculpidos em formas de chifres.  Entre seus passatempos estão os Poços de Luta (Fighting Pits). As vestes determinam sua posição social, e a roupa típica é chamada de Tokar, uma intrincada vestimenta com franjas que impede boa parte dos movimentos e demanda ajuda para vestir, própria para quem não trabalha e possui escravos.

Estas três cidades serão bastante importantes no caminho de Daenerys, já no terceiro livro. Me lembram o óbvio. as civilizações das pirâmides. Egípcios, Incas, China. Os poços de luta me lembram muito os coliseus e seus gladiadores. No romance, eles servem aos mesmos propósitos. Atração para a população livre, punição de criminosos, um lugar em que escravos poderiam ganhar fama.

Astapor, a primeira cidade que conhecemos na saga, é construída de tijolos vermelhos, talvez do sangue dos escravos construtores. Os mestres desta região se denominam “Bons”. Esta é a única cidade em que se pode comprar Imaculados (Unsullied), aqueles guerreiros que eu comparei com os espartanos, e que outros comparam aos legionários. É uma cidade extremamente quente e praticamente deserta durante o dia. Toda sua segurança se baseia em escravos dos Imaculados.

Yunkai é a menor das três cidades, seus tijolos são atimarelos, seus poços de luta são famosos, bem como suas casas de prazer, ambas povoadas por escravos. Seus mestres se chamam “Sábios”, e além de um exército de escravos eles se protegem com bandos de mercenários, principalmente os Segundos Filhos (Second Sons) e os Corvos da Tempestade (Stormcrows).

Mereen é a maior das três cidades, seus mestres usam a alcunha de “Grandes”, seus tijolos multicoloridos. Possui a maior das pirâmides, encimada por uma Harpia de bronze. É também a única das três cidades conhecida por seu Templo: o Templo das Graças. Nele, as noviças são separadas por cores, e estas definem especialidades. As azuis, por exemplo, são dedicadas à arte da cura. Seus poços de luta são vermelhos.

 

Anúncios

Sobre Clarisse

Uma menina com histórias pra contar...
Esse post foi publicado em A Game of Thrones e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s