A Song of Ice and Fire (George R. R. Martin): Targaryens

Os Targaryen  descendem do povo Valiriano, e foi um dos seus o unificador dos Sete Reinos, seu lema é “Fogo e Sangue” (Fire and Blood) e seu brasão um dragão vermelho de três cabeças sobre um campo negro.Este distintivo faz alusão à chegada de Aegon o Conquistador e suas irmãs a Westeros montados em seus dragões, há mais ou menos 300 anos do início da saga.

Mas antes de falar da família em si, uma pequena nota sobre estas bestas míticas se fazem necessárias. No mundo de Martin, a existência de dragões não é um mito, mas uma certeza. Os livros escritos sobre sua existência são o mais próximo que um mundo medieval pode chamar de cientifico e Porto Real (King’s Landing) possui vários esqueletos destas feras.

Em Westeros, dragões deixaram de existir há um século, após um longo período de deterioração, supostamente por terem sido criados em cativeiro. Como na maior parte da literatura de fantasia que conheço (mais conhecida como livros de RPG), dragões tem uma ligação forte com o poder da magia no mundo. E os Targaryens são conhecidos por possuírem o “sangue do dragão”. Este epíteto não é literal, no entanto. Targaryens possuem cabelos muito claros, de um louro pálido ou prateados, e olhos de azul profundo ou violetas. Muitos possuem uma resistência maior ao calor, porém, a princípio, não são à prova de fogo.

São a única família em Westeros que mantém o costume de casar irmãos e irmãs, e o incesto pode ser o motivo de haver tantos membros tomados pela loucura. Antes da Rebelião de Robert, a dinastia Targaryen governou os Sete Reinos desde a sua união, realizada por Aegon I, o Conquistador. Seguiu-se uma fieira de grandes reis e loucos reis, todos importantes para o mundo que conhecemos em A Game of Thrones.  Baelor construiu o Grande Septo de Porto Real, foi Aerys  II  o rei que Jaime Lannister matou. São os corpos dos netos de Aerys que Tywin Lannister apresenta como presente para selar sua fidelidade a Robert, numa das cenas mais lembradas durante a saga, por sua crueldade.

Após a Rebelião de Robert, portanto, os Targaryen foram praticamente dizimados, e os que não morreram encontram-se exilados em Pentos. Na casa do Magistrado (Magister) Illyrio, encontram-se os dois filhos sobreviventes de Aerys II: Viserys  e Daenerys. Viserys tem um caráter impetuoso e impulsivo, bastante irritadiço. Conhece pouco de sua própria história, mas possui a consciência de que seu lugar foi “usurpado” por Robert Baratheon. Quando o conhecemos, este negocia o casamento da irmã com os Dothraki em troca de um exército, para recuperar sua coroa. É um jovem bonito, mas quem o conhece vê em seus olhos traços da loucura do pai. Abusa psicologicamente da irmã, mas queria ter-se casado com ela. Terá seu fim logo no primeiro livro, numa das cenas mais chocantes e melhor caracterizadas na série.

Daenerys Targaryen: Um dos pontos de vista mais importantes para toda a série, tendo direito inclusive à compilações de seus capítulos em publicações autônomas, Daenerys é ainda uma adolescente quando a conhecemos, em Pentos. O casamento com Khal Drogo faz com que a moça de cabelos prateados e olhos violeta amadureça rapidamente, e sua força de caráter é cada vez melhor demonstrada. Ela dará o tom de fantasia para a narrativa, e é através de seus olhos que conheceremos a maior parte de Essos (o Oriente deste mundo criado por Martin) e sua estranha e misteriosa cultura. Seu crescimento como personagem nos acompanhará por toda a saga, e a moça doce e ingênua que casou-se com o grande Khal se tornará uma mulher forte e decidida, mas sensível às necessidades das pessoas. Dany é um dos vários motivos pelos quais vale a pena ler todos os livros desta série.

Maester Aemon: Sim, Aemon é um Targaryen. Apesar de Meistres deixarem seus nomes de família de lado quando forjam sua corrente, sua identidade é revelada. Aemon é irmão de rei, filho de rei, neto de rei. Com mais de 100 anos de idade, Aemon  é irmão mais velho do bisavô de Daenerys. Com um talento incomum para servir, escolheu ser um Meistre, e é um dos personagens mais sábios de toda a saga. Sua experiência e conhecimentos são bastante apreciados na Muralha, seu lar há mais tempo do que podemos contar. Seus conselhos são valiosos. Mesmo cego e frágil é um dos homens mais úteis da Patrulha da Noite.

Aparecerá mais um Targaryen no decorrer da história, mas não quero estragar a leitura de vocês. Com este post paro de falar das grandes famílias. Semana que vem falarei um pouco das Nove Cidades Livres.

Anúncios

Sobre Clarisse

Uma menina com histórias pra contar...
Esse post foi publicado em A Game of Thrones e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para A Song of Ice and Fire (George R. R. Martin): Targaryens

  1. Liv disse:

    Houston, we have a problem! Comprei o volume um, nada de spoilar a história, heeeeeim? =]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s