A volta do parafuso, seguido de Daisy Miller (Henry James)

Uma das novelas de horror mais conhecidas na literatura inglesa, A volta do parafuso já apareceu por aqui duas vezes, nas excelentes resenhas de Anica e Dindii. Eu li uma tradução diferente da história, feita por Guilherme da Silva Braga e Henrique Guerra, a edição da L&PM inclui também o conto Daisy Millerpublicado por volta de 1879.

Henry James é conhecido por dar ênfase ao estado psicológico dos personagens mais do que à trama em si. Menos importante o que acontece, mas como reagem as personagens ao acontecido. Tanto “A volta do parafuso” quanto “Daisy Miller” são histórias contadas a partir de um ponto de vista único, usando um narrador-personagem; o que naturalmente dá margem ao leitor a vários questionamentos. E o autor é bastante feliz no uso do recurso.  Tanto é que, numa primeira leitura, as emoções suplantam a razão.

“A volta do parafuso” é a história de uma governanta, que empregada por um Senhor distinto e que pediu somente que nunca o incomodasse, vai a Bly (Essex) cuidar de seus dois sobrinhos, Miles e Flora. A primeira preocupação da governanta é a expulsão de Miles da escola onde estudava, mas logo começa a ser assombrada por aparições de ex-funcionários da casa, mortos em circunstâncias misteriosas. A história é contada através de uma carta escrita pela própria governanta, e lida em voz alta numa festa, por um velho amigo, já décadas depois de escrita.

Confesso, no inicio da história a achei um tanto exagerada, e cogitei seriamente sua loucura. As primeiras aparições de Quinn e da Srta. Jessel também não me causaram muita impressão, e só consegui “entrar” na história mesmo quando a governanta percebe (ou acha que percebe) que Flora vê as aparições, e tudo degringolou. A tensão se manteve até a última página, e eu mais senti as palavras do que li.

Só depois de terminados os dois contos e fechado o livro, parei para refletir sobre a situação da Governanta em “A volta do parafuso”. Foi somente neste momento que me dei conta da profundidade do texto que tinha em mãos. Pode-se trabalhar com várias hipóteses, e dentro dessas hipóteses várias maneiras de analisar o conteúdo da carta. Aos poucos montei a minha interpretação do texto, mas ela ainda depende de uma segunda leitura que a ponha à prova. Pois sim, como a Anica já falou na resenha dela, essa novela DEMANDA uma segunda leitura.

 Daisy Miller é uma garota americana coquete e licenciosa que, junto à mãe e ao irmão está em viagem pela Europa. O narrador da história é um rapaz, também americano, mas que vive na Suíça desde criança, ninguém sabe muito bem por que. A garota encanta o narrador, mas seu comportamento em sociedade causa polêmica entre os europeus. A graça do texto está em deixar para o leitor a interpretação da personalidade da personagem principal, e a idoneidade do narrador. É um texto bastante rico, mas perdeu para mim um pouco do brilho ao ser colocado depois de “A volta…”. Deve-se contanto, levar em conta que a história foi escrita quase 20 anos ANTES da obra prima do autor.  De toda forma, uma leitura que vale cada minuto.

VOLTA DO PARAFUSO SEGUIDO DE DAISY MILLER, A

Título Originall: The Turn of the Screw and Daisy Miller

Tradução: Guilherme da Silva Brava (A volta do Parafuso) e Henrique Guerra (Daisy Miller)

Coleção L&PM Pocket

224 Páginas

Preço Sugerido: R$ 12,00


Saiba mais sobre essa e outras obras no site da L&PM Editores

Anúncios

Sobre Clarisse

Uma menina com histórias pra contar...
Esse post foi publicado em Literatura, Resenhas e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s