O Fantasma de Canterville e outras histórias (Oscar Wilde)

Editado pela L&PM e com tradução realizada pela “Oficina de Tradução Literária de Beatriz Viégas-Faria”, “O Fantasma de Canterville e outras histórias” reúne oito famosos contos deste que é um mestre do aforismo. Oscar Wilde é um exímio contador de histórias, mas também um ácido crítico da sociedade em que viveu, ainda que seja um produto dela. A obsessão pela beleza, a diferença entre discurso e atitude, a absoluta desconsideração pelo miserável, são apenas alguns dos assuntos abordados nesta obra que, acredito, demonstra bem o gênio e a versatilidade deste autor.

Os contos desta edição são: O crime de Lorde Arthur Saville,  O Amigo Devotado, O Fantasma de Canterville, O jovem rei, O milionário modelo, O pescador e sua alma, O retrato do Sr. W.H. e O príncipe feliz. Com estilos que variam do conto popular ao estudo científico, cada um contém um mundo e diversas reflexões possíveis. Oscar Wilde se via como um amante da beleza, um parnasiano modelo, mas esses contos teimam em contradizê-lo. O amigo devotado, por exemplo, é uma crítica ferrenha à disparidade entre discurso e atos, onde o Moleiro faz belos discursos enquanto se aproveita de seu “amigo” Hans. O conto tem um quê de fábula às avessas: é contado por animais, mas os personagens são humanos. E é uma história com moral, apesar do Ratão descartá-la como tolice.

O crime de Lorde Arthur Saville é um dos melhores contos do livro, e trata de um jovem em cuja mão um quiromante vê assassínio e, como bom cristão apaixonado por sua noiva, o faz buscar honrosamente um sujeito a assassinar, antes do casamento. Interessante a preocupação de Arthur não em cometer um ato atroz e ser preso, mas em ser assunto nos encontros de Lady Windermere, se tornar um escândalo. Numa sociedade em que as aparências são tudo, mais vale não ser descoberto do que não fazer o mal. Posso dizer que este conto envelheceu  muito bem.

Todos os contos da coletânea parecem ser avessos de formas clássicas, sejam na narrativa ou na abordagem das personagens. O Fantasma de Canterville, conto que dá nome ao livro,  fala de um espectro assombrado por seres vivos, O crime de Lorde Arthur transforma o assassino num homem honesto. Já em  O pescador e sua alma, o protagonista abandona sua alma por um grande amor, e esta torna-se má em essência, O milionário modelo, para mim o mais fraco dos contos, transforma o homem rico num mendigo agradecido; O retrado do Sr. W.H  prova por A mais B uma teoria falsa, e O  príncipe feliz, o mais alegórico dos contos, conta a história de um príncipe triste.

Já conhecia a maioria dos contos, e cada vez que os leio, deles tiro uma imagem diferente. Para os caçadores de aforismos é um prato cheio, todos os contos contam com as ácidas observações que fizeram do estilo de Oscar Wilde algo único. São representantes da era mais criativa do autor, datando de 1887 a 1891. Destaque para as traduções cuidadosas do pessoal da Oficina de Tradução Literária. O tom dado ao livro deixaria orgulhoso seu autor.

O Fantasma de Canterville e outras histórias

Oscar Wilde

Tradução: Oficina de Tradução  Literária de Beatriz Viégas-Faria

200 páginas

Preço sugerido: R$ 14,00

L&PM Pocket

Saiba mais sobre essa e outras obras no site da L&PM Editores

 

Anúncios

Sobre Clarisse

Uma menina com histórias pra contar...
Esse post foi publicado em Literatura, Resenhas e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para O Fantasma de Canterville e outras histórias (Oscar Wilde)

  1. Pingback: Especial Oscar Wilde (1854-1900)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s