Contos Populares

Eles fazem parte do imaginário popular, das nossas expressões idiomáticas. Eles fizeram a fortuna da Disney e a minha alegria de infância. São fruto da tradição oral, de forma que, quando seus escritores mais famosos os passaram para o papel, já eram histórias de tempos passados. Os Contos Populares, aqui no Brasil mais conhecidos como Contos de Fadas, trazem a essência do contador de histórias.

Toda cultura tem suas histórias essenciais, suas pequenas lendas, que em geral a definem. Muitas dessas histórias foram postas no papel por mestres como Charles Perrault e Hans Christian Andersen, outras foram registradas por pessoas cujos nomes se perderam no tempo, e elas compartilham traços bastante marcantes:Simplicidade: Todos os contos populares que li possuem uma estrutura narrativa bastante simplificada, sem grandes divagações ou discussões filosóficas dentro do texto. Não há questionamento de como a grande bruxa foi parar naquele local específico. Ela estava lá e pronto.

Essência: São contos fundamentais, por assim dizer. Algo que eu, leiga em teoria literária, só posso comparar com Shakespeare. Vou tentar me explicar. O enredo dos contos populares é arquetípico, possui o esqueleto de boa parte das grandes histórias e livros da atualidade. Em poucas palavras, eles atingem o âmago das relações humanas, e das histórias que surgem delas.

Uso de símbolos: Muitas vezes passa despercebido, mas quando se lê 10, 20 contos populares numa tacada só, fica bem fácil de visualizar. Sentimentos e conceitos abstratos, por exemplo, são frequentemente personificados, traduzidos em tesouros, lobos, princesas e lenhadores. As relações com números são as mais interessantes. O uso de números bíblicos e cabalísticos é bastante frequente, principalmente nos contos europeus. Há uma repetição constante de números como o 3 (e seus múltiplos), o 7 e o 12.

Moral: Este talvez seja o ponto mais controverso, mas eu vi sim uma lição em cada história. Às vezes ela é explícita, outras está bem escondida, mas todas trazem um ensinamento sobre a convivência em sociedade, seus usos e costumes. Tanto que ainda é assim que muitos de nós conhecemos estas histórias, seja aprendendo a não falar com estranhos através de Chapeuzinho Vermelho, ou não contar mentiras com a história do Pinóquio.

A simplicidade do texto é enganosa, pois cada conto é um mundo em si. Podemos tratá-los por vários ângulos, como filosofia, religião, psicologia e antropologia, e mesmo assim eles não se esgotam. Talvez muitos deles pareçam banais hoje, simplistas, maniqueístas ou mesmo preconceituosos, mas são definitivamente textos enriquecedores, se o leitor se der ao trabalho de refletir sobre eles.

E eu indico fortemente a leitura desses contos. Mesmo que você tenha visto TODOS os filmes da Disney, mesmo se você já tiver ouvido centenas de vezes as histórias de João e Maria, Chapeuzinho Vermelho, Rapunzel e Cia.

Para quem quer entrar nesse mundo, eu indico duas edições de qualidade:  a edição de bolso intitulada “Contos de Fadas”, da Zahar, com textos e ilustrações originais e mini biografias dos autores. Ou a belíssima “Os Grandes Contos Populares do Mundo”, organizados por Flavio Moreira da Costa, e editado pela Ediouro. Sem contar que estão quase todos em domínio público ((Download Grátis na Biblioteca Meia Palavra)).

COMENTE ESTE ARTIGO NO FÓRUM MEIA PALAVRA

Anúncios

Sobre Clarisse

Uma menina com histórias pra contar...
Esse post foi publicado em Literatura e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para Contos Populares

  1. Alinde disse:

    Adorei o artigo =)
    Contos populares realmente são fantásticos, e uma leitura quase obrigatória,a meu ver. Especialmente os adaptados pela Disney, pelas suavizadas que são feitas nos roteiros dos estúdios.E bem, nao se tem que ler apenas pq sao clássicos, a leitura deles é diversão garantida para todas as idades =p

  2. fernando disse:

    tem pessoas que são besta de mais entendeu pois são enventadas as maiorias das historias

  3. lorena disse:

    queria alguns contos populares de minas gerais como vou achar?

    • Kika disse:

      Há várias coletâneas de contos populares , mas de Minas, há uma coleção de canções sertanejas, reunidas pelo Banco BMG que é uma preciosidade…

      • nf disse:

        chaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaatooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

  4. nf disse:

    Este talvez seja o ponto mais controverso, mas eu vi sim uma lição em cada história. Às vezes ela é explícita, outras está bem escondida, mas todas trazem um ensinamento sobre a convivência em sociedade, seus usos e costumes. Tanto que ainda é assim que muitos de nós conhecemos estas histórias, seja aprendendo a não falar com estranhos através de Chapeuzinho Vermelho, ou não contar mentiras com a história do Pinóquio.

  5. nf disse:

    les fazem parte do imaginário popular, das nossas expressões idiomáticas. Eles fizeram a fortuna da Disney e a minha alegria de infância. São fruto da tradição oral, de forma que, quando seus escritores mais famosos os passaram para o papel, já eram histórias de tempos passados. Os Contos Populares, aqui no Brasil mais conhecidos como Contos de Fadas, trazem a essência do contador de histórias.
    Toda cultura tem suas histórias essenciais, suas pequenas lendas, que em geral a definem. Muitas dessas histórias foram postas no papel por mestres como Charles Perrault e Hans Christian Andersen, outras foram registradas por pessoas cujos nomes se perderam no tempo, e elas compartilham traços bastante marcantes:Simplicidade: Todos os contos populares que li possuem uma estrutura narrativa bastante simplificada, sem grandes divagações ou discussões filosóficas dentro do texto. Não há questionamento de como a grande bruxa foi parar naquele local específico. Ela estava lá e pronto.
    Essência: São contos fundamentais, por assim dizer. Algo que eu, leiga em teoria literária, só posso comparar com Shakespeare. Vou tentar me explicar. O enredo dos contos populares é arquetípico, possui o esqueleto de boa parte das grandes histórias e livros da atualidade. Em poucas palavras, eles atingem o âmago das relações humanas, e das histórias que surgem delas.
    Uso de símbolos: Muitas vezes passa despercebido, mas quando se lê 10, 20 contos populares numa tacada só, fica bem fácil de visualizar. Sentimentos e conceitos abstratos, por exemplo, são frequentemente personificados, traduzidos em tesouros, lobos, princesas e lenhadores. As relações com números são as mais interessantes. O uso de números bíblicos e cabalísticos é bastante frequente, principalmente nos contos europeus. Há uma repetição constante de números como o 3 (e seus múltiplos), o 7 e o 12.
    Moral: Este talvez seja o ponto mais controverso, mas eu vi sim uma lição em cada história. Às vezes ela é explícita, outras está bem escondida, mas todas trazem um ensinamento sobre a convivência em sociedade, seus usos e costumes. Tanto que ainda é assim que muitos de nós conhecemos estas histórias, seja aprendendo a não falar com estranhos através de Chapeuzinho Vermelho, ou não contar mentiras com a história do Pinóquio.
    A simplicidade do texto é enganosa, pois cada conto é um mundo em si. Podemos tratá-los por vários ângulos, como filosofia, religião, psicologia e antropologia, e mesmo assim eles não se esgotam. Talvez muitos deles pareçam banais hoje, simplistas, maniqueístas ou mesmo preconceituosos, mas são definitivamente textos enriquecedores, se o leitor se der ao trabalho de refletir sobre eles.
    E eu indico fortemente a leitura desses contos. Mesmo que você tenha visto TODOS os filmes da Disney, mesmo se você já tiver ouvido centenas de vezes as histórias de João e Maria, Chapeuzinho Vermelho, Rapunzel e Cia.

  6. cristina disse:

    adorei o site

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s