As Aventuras de Sharpe – Bernard Cornwell

Richard Sharpe, um britânico de origem humilde, órfão, que para fugir da prisão faz sua entrada no exército de Sir Arthur Wellesley, é o centro destra série de livros de Bernard Cornwell. Iniciada em 1981, ambientada nas campanhas militares conhecidas como Guerras Napoleônicas, a série Sharpe acompanha a carreira de Sir Arthur Wellesley, logo Duque de Wellington, através de Sharpe, seus amigos, seus inimigos e, como não poderia deixar de ser, suas mulheres.

Dick Sharpe é um homem rude, mas inteligente, que aprende a ler a duras penas, fiel, exímio atirador, bom estrategista, um dos poucos a avançar em sua carreira militar unicamente em função de seu mérito e, como tal, alvo da admiração de uns e da inveja de muitos.

O autor não escreve as obras cronologicamente, e o primeiro livro que chegou a público lá para os gringos foi o “Sharpe’s Eagle”, que até agora é o último lançado em português. Aqui a história é outra. A editora optou por publicá-los em ordem cronológica, o que destaca ainda mais a coerência de Cornwell ao longo da história.

Sharpe não precisa ser lido cronologicamente, sendo cada livro como um episódio de série padrão: facilmente aproveitável sozinho, e muito mais interessante para quem acompanha todos os episódios; e esta continuidade é bastante apreciada por esta que vos escreve, especialmente naqueles momentos em que o autor insere aquele detalhe num dos livros que remete diretamente a outro – que talvez nem tivesse sido escrito ainda!

Vê-se o cuidado na pesquisa nestes detalhes. Da conservação do uniforme, às descrições de terrenos, das técnicas e armas militares ao treinamento de seu uso, do acampamento da infantaria aos escritórios de Wellesley, do comportamento dos oficiais às disputas políticas, tudo é vívido, palpável e bem colocado. É quase como se a pólvora se impregnasse em seus dedos e o salitre em suas narinas, enquanto as páginas são quase freneticamente viradas.

Mas o que surpreende mesmo em ‘As Aventuras de Sharpe’ é mesmo a inserção e caracterização dos personagens, incluídos nesta ambientação histórica., Cornwell costura a ficção de tal maneira na trama da história que alguns fatos tomam ares de ficção e vice-versa.

Talvez pelo cuidado com que a tradução é feita, dos mais de 20 livros da série já publicados nos Estados Unidos, apenas oito foram lançados no Brasil, e cada um deles vale o dinheiro e o tempo investidos. São eles:

O Tigre de Sharpe

O Triunfo de Sharpe

A Fortaleza de Sharpe

Sharpe em Trafalgar

A Presa de Sharpe

Os Fuzileiros de Sharpe

A Devastação de Sharpe

A Águia de Sharpe

Seja na Índia, Portugal, Dinamarca, França, Espanha, ou mesmo no mar – com a participação do Almirante Nelson, Sharpe nos transporta direto ao exército britânico do início do século XIX de tal maneira, que fica difícil soltar o livro e voltar ao século XXI.

Saiba mais sobre essa e outras obras no site do Grupo Editorial Record

COMENTE ESTE ARTIGO NO FÓRUM MEIA PALAVRA

Anúncios

Sobre Clarisse

Uma menina com histórias pra contar...
Esse post foi publicado em Literatura, Resenhas e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para As Aventuras de Sharpe – Bernard Cornwell

  1. Gabriel Lucas disse:

    Cornwell é meu herói. Sharpe é o cara, mas empaquei na Devastação de Sharpe…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s